Prazer, sou fulano da empresa tal. 

Quantas vezes a gente fala ou escuta essa frase?

Coisa mais comum no dia, falar nosso nome seguido de um sobrenome que não é de família (a não ser que você seja herdeiro), mas de uma empresa.

Mas o quanto isso nos define?

Em 2020, o mundo inteiro precisou repensar sua relação com o trabalho. Desde quem realiza atividades essenciais e precisou se arriscar até quem teve que adotar o home office ou precisou mudar radicalmente de trabalho.

E nessa reflexão, ficou mais claro que ter um crachá no peito ou um sobrenome empresarial é apenas uma referência. Orgulho da equipe, da empresa, da profissão é ótimo. 

Mas trabalho é trabalho, e trabalho não define sua vida. 

No coworking, onde várias empresas convivem, fica bem claro como as características pessoais se sobressaem sobre as profissionais. E como isso deixa a convivência fica mais rica, divertida e colaborativa.

Somos a soma de nossas habilidades, nossos gostos, opiniões, caráter, educação e muito mais. Somos humanos, muito antes de sermos pessoas físicas ou jurídicas. Descobrir o que realmente nos define é daquelas perguntas que só a gente mesmo pode responder. 

Conta pra gente, nessa quarentena você encontrou o que te define?

0 comentário(s)